5 Estratégias de E-commerce Para Gerar Mais Valor

São 5 dicas, mas poderiam ser 10, 20, 30 ou 40. Isto porque o E-commerce é uma área tão grande e que envolve outras tantas que é muito difícil ser um especialista em todas elas.

Normalmente, há uma fusão de especialistas e gestores de várias áreas, que envolvem o E-commerce, e que se juntam de modo a criar uma estratégia mais eficaz, com diferentes visões e que torna a estratégia global muito mais eficiente, eficaz e realista. Um especialista em SEO (Search Engine Optimization), SEM (Search Engine Marketing), Social Media (Facebook, Linkedin,  Twitter, Youtube, Snapchat, Instagram, entre outras), Copywriting, Content Marketing, entre outras, será possível?

É muito difícil encontrar alguém que seja especialista, no verdadeiro sentido da palavra, em todas estas áreas, e como tal, há a necessidade de se formar uma equipa para trabalhar a estratégia de E-commerce, e claro que o numero de elementos vai depender, naturalmente, do tamanho da organização.

E-commerce Marketing tips

Assim sendo, reuni as 5 primeiras dicas, ou estratégias, que acredito serem fundamentais em qualquer organização que pretende ter resultados positivos na sua estratégia de E-commerce:

1. Planeie uma estratégia de conteúdos de Marketing – Content Marketing.

Não comece por criar algo sem antes definir um plano, por muito simples que seja. Saiba o que vai vender, onde vai vender, quando vai vender, a quem vai vender. Simples, não é? Não é tanto assim. Saiba que conteúdos irá fornecer à sua audiência, e para tal saiba o que a sua audiência procura. Não esteja interessado em vender apenas, forneça conteúdo de interesse e qualidade, sem esperar qualquer retorno, pois os consumidores estão muito habituados a que lhes dêem tudo pronto a consumir, com o mín de trabalho e clicks possíveis! Vai ter um Blog além na sua plataforma de E-commerce? É um bom passo, mas lembre-se: “Que conteúdos é que podem ser do interesse da minha audiência e influencia-las a comprar os meus produtos/serviços?”

Esses conteúdos vão estar em que formato? Publicação/Artigo, Foto/Imagem, Vídeo, Podcast? Há imensa escolha atualmente, só tem que planear o que pretende e esquematizar.

Faça um teste com uma ou duas opções das que mencionei e ao fim de um mês meça os resultados e no mês seguinte meça novamente, de forma a avaliar o crescimento e se a sua audiência quer esses conteúdos ou se deverá optar por outros.

2. Tire proveito de outras plataformas e diversifique – Social Media Marketing

Como saber se essas plataformas resultam para si ou não, certo? Pois é, são tantas, apesar de algumas mais conhecidas que outras. O meu conselho é o da experiência. Registe-se nas mais influentes, alimente-as e encha-as de conteúdo (como referi no ponto 1., encha-as de conteúdo que os seus seguidores querem ver). Só ao final de algum tempo é que saberá se está a ter resultados positivos das mesmas. Como fazê-lo? Existem ferramentas denominadas de social media “analytics” que permitem medir o alcance e obter todos os dados sobre o uso das suas plataformas. Aconselho-o a criar conta no Facebook, Linkedin, Instagram, Google+ e, possívelmente, dependendo do seu negócio, Twitter. Só através da experiência e da usabilidade é que saberá ser proveitosas para si ou não, sendo que futuramente poderá investir em trabalhar com outras e descartar alguma das anteriores.

Não se guie simplesmente pelo número de seguidores, pois uma organização com 100 seguidores pode converter mais do que outra com 1000.

3. Optimize para o Universo Móvel (Mobile)

Em meados de 2013/2014, os acessos à internet via desktop seriam ultrapassados pelos acessos via mobile. É verdade, cada vez mais pessoas acedem à internet, quer seja por smartphone, quer seja por tablet. Logo, deverá preparar o seu site para que seja mobile responsive.

Com isto não lhe estou a pedir para investir na criação de uma aplicação (app), não, não é isso. O seu website deve estar optimizado para quando alguém acede ao mesmo a partir de um tablet ou smartphone, ele reconheça esse acesso e se adapte ao dispositivo em questão. Os utilizadores estão há espera de algo intuitivo, de fácil acesso, sem muitas complicações. Algo que seja amigo do utilizador, pois deve satisfazer as suas necessidades e não o inverso.

4. Search Engine Optimization (SEO)

O ponto 4. e o ponto 1. relacionam-se muito porque o conteúdo é rei, algo que se houve muito “the content is king”. E não é à toa que se diz isto. Por isso, tenha conteúdos bons, bem escritos, originais, e únicos! Não utilize conteúdos de outras pessoas, traduzidos ou adaptados. Pode ler outros artigos e tirar ideias, mas seja original, sempre. Links para esses conteúdos são fantásticas, por isso, lembre-se de construir uma rede de links que gere valor. Não fique obcecado somente pelos valores que o pagerank lhe fornece, e a verdade é que se deixou de ter acesso a ele, por isso, já não desculpa para ficar limitado a todos os dados que ele lhe apresenta. Use boa palavras-chave (keywords) e tags. É essencial que faça boas escolhas e não escreva apenas para “despachar”. O título de cada artigo (ponto 1.) é importantíssimo nesta métrica, tenha isso em atenção. E claro que isto é apenas o básico, pois SEO é algo tão complexo e tão grande, que há especialistas que apenas se dedicam a isto.

5. Use o Email Marketing

Para utilizar o email marketing, lembre-se que esta ferramenta é muito delicada e que não deve, de todo, ser associada a spam. Quando alguém lhe fornece o seu email, seja ao subscrever uma vídeo conferência, seja a fazer o download de um ebook, estão a dar-lhe uma oportunidade de criar valor para ambas as partes, por isso, não a desperdice! O que deverá fazer agora? Já captou a atenção do seu potencial público, com o seu funil conseguiu captar o email, mas não sabe como contactar essa pessoa? Crie conteúdo que seja do interesse do seu público. Antes de pensar em vender, pense em dar. Dê algo que tenha valor e que não estejam à espera. Informação relevante é algo que as pessoas agradecem. Como irá mandar estes email? Há plataformas de email marketing destinadas a situações como esta. E quando é que irei mandar? De manhã? De tarde? A hora premium para enviar emails e que a taxa de abertura é maior está associada entre as 20h00 e as 24h00.

Optimize o email que irá enviar para mobile, pois há estudos que refletem uma taxa de abertura nos smartphones a rondar os 50%! E pense diferente dos restantes. Quando é que o volume de trabalhos é menor? Ao fim-de-semana, claro! Como tal, envie emails ao fim-de-semana, pois assim saberá que o seu é dos poucos que irá cair na caixa de correio do seu público, enquanto que na segunda-feira irão cair de todos os lados que o seu público, também, subscreveu. E, por fim, o título terá que ser apelativo, mas não pense que um título muito explicativo, isto é, longo, irá trazer mais benefícios, porque tal não está provado. Crie um título curto e que aponte à palavra-chave da informação que quer dar à sua audiência, que resuma o que está lá dentro, pois emails com tema inferior a “10 caracteres têm uma taxa de abertura superior a 57%.

Estes são alguns tópicos que têm grande destaque no mundo digital, e alguns deles são me questionados diariamente e que geram tema de conversa, pelo que decidi partilhar a minha experiência, opinião e ponto de vista.

Fico ao vosso dispor para ajudar no que conseguir!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *